Três crianças nascidas em Criciúma, no Sul do Estado, foram mortas pelo próprio pai

Foto: Arquivo pessoal / Divulgação

Três crianças nascidas em Criciúma, no Sul do Estado, foram mortas pelo próprio pai em Ponce, Porto Rico, na manhã desta quarta-feira. Segundo as manchetes dos principais jornais locais, as crianças de cinco, sete e nove anos foram asfixiadas por Erik R. Seguinot Ramírez, 50 anos, natural dos Estados Unidos, que se enforcou em seguida. A mãe dos pequenos, Marlene Martins da Rocha, 33, é brasileira e estava em Los Angeles a trabalho.

O casal estava junto há 10 anos. Eles foram para Porto Rico há três anos, depois que o pai de Erik faleceu e ele assumiu os negócios da família. Segundo uma das tias das crianças, Marli Martins da Rocha, que falou com a reportagem do Diário Catarinense por telefone, o casal passava por problemas pessoais, mas o homem era um pai amoroso e dedicado às crianças.

— Eles eram super apegados a esse pai, ele era extremamente carinhoso com as crianças. Eu até comentava: essas crianças nunca levaram um tapa dele, eram muito apaixonados por ele, muito educadas, as crianças vieram com esse mesmo jeitinho dele — comentou a tia.

De acordo com Marli, a irmã ficou sabendo da morte do marido no início da manhã desta quarta-feira, quando uma vizinha fez contato por telefone. Duas horas depois, ela soube que a tragédia envolvia também os filhos, e ligou novamente para o Brasil. 

Assim que chegar a Porto Rico, na noite desta quarta-feira, a empresária brasileira deve fazer novo contato com a família para definir se os corpos dos filhos serão transladados para Santa Catarina.