Polícia Militar alerta sobre os riscos do Pokémon Go

 

 

05
AGO
2016
09h58
A Polícia Militar alerta para o uso do aparelho celular após o lançamento na última quarta-feira, dia 3, do Pokémon Go. A principal preocupação é com os estudantes em locais públicos. Quanto maior for o período em que o jogador estiver envolvido com o aplicativo, maior é o perigo. Isso porque os dados do usuário são compartilhados.

De acordo com a PM, enquanto está de olho no celular, o jogador caminha pelas ruas e suas informações são compartilhadas por meio de geolocalizadores (Google Maps). Qualquer usuário pode localizar outra pessoa que esteja jogando nas suas proximidades. “Por causa disso, foram registrados casos em que desconhecidos atraíram jogadores com pistas falsas de pokémons para que pudessem roubá-los”, alerta o policial militar Eder Carlos Machado de Oliveira.

Recomenda-se que os usuários do Pokémon Go joguem somente em locais conhecidos e com amigos em grupo, nunca em lugares desconhecidos. No caso de crianças, a orientação é que os pais permaneçam ao lado. "Se você usa o aplicativo ou tem filhos que usam, pedimos cuidado ao informar para estranhos sua localização futura”, frisa o policial. 

Assim como em outros países, onde acidentes de trânsito e casos policiais já foram registrados por causa da distração dos jogadores em busca de pokémons, no Brasil a novidade já fez algumas vítimas. Jogadores já foram furtados, atropelados e sofreram quedas. Douglas Saviato

Jornalista | Portal Engeplus