Alemão recebe representantes da FATMA e do Instituto Alouatta

20/03/2013 18:59

O prefeito de Siderópolis, Helio Cesa, o Alemão participou de uma reunião com os representantes da FATMA, o biólogo Juliano de Mattos Emmelick e o técnico administrativo, Joel Casagrande e o secretário do Instituto Alouatta, Paulo Renato Cadallóra. Durante o encontro foram discutidas algumas ações ambientais e projetos de ecoturismo e turismo de aventura.

 

Segundo o biólogo Emmelick é preciso discutir algumas sobre ações ambientais no município. “A reativação do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente é extremamente importante para a cidade. Outro ponto fundamental é a criação de um plano de manejo para as áreas de proteção ambiental e a criação da Fundação do Meio Ambiente para que os recursos de compensação fiquem no município.”

Já o prefeito confirmou o compromisso com a criação da Fundação do Meio Ambiente. “É um compromisso e durante nosso mandato vamos criar a Fundação Municipal do Meio Ambiente.”

Ele ainda acrescentou que existem áreas que podem ser exploradas com atividades sustentáveis, mas só iremos avançar com embasamento e parcerias dos órgãos ambientais responsáveis. “Nós estamos geograficamente num dos melhores locais para o eco turismo e turismo de aventura de forma sustentável.”

 

Roteiro

Paulo Cadallóra, o secretário do Instituto Alouatta apresentou um projeto que visa a elaborar de um roteiro na região com o apoio dos municípios do entorno da Reserva da Aguaí. “A intenção é fazer um diagnostico a exemplo do primeiro roteiro de turismo de aventura de Santa Catarina, envolvendo as principais cidades turísticas litorâneas. Com isso o estudo, elas irão ampliar o potencial econômico desta região fora da grande temporada com novos atrativos turísticos para os próximos anos.”

 

Durante sua explanação, Cadallóra mostrou que o Ecoturismo e o Turismo de Aventura são segmentos do turismo que estão em franca expansão. De acordo com a Organização Mundial de Turismo (OMT) esses dois segmentos crescem anualmente de 20% a 30%. Segundo Cadallóra, 50% das viagens feitas hoje no mundo têm como principal destino procurado pelos turistas àqueles que levem à natureza. “Este tipo de turista agrega valor, possibilita maior grau de participação da comunidade local sendo formada por pequenas e grandes empresas e respeita a natureza e fortalece o conceito de preservação”, enaltece o secretário.

 

A intenção é realizar um seminário no final do mês de junho deste quando a reserva completará 30 anos para tratar deste tipo de turismo em unidades de conservação.
 

Colaboração: Cris Freitas