Projeto “Ganhe Mais com Menos” é aliado no combate à obesidade em Siderópolis

14/10/2015 19:37
Através de um acompanhamento nutricional, psicológico e de treinamento físico, um grupo de mulheres de Siderópolis vem dando um passo importante na luta contra a obesidade. Desenvolvido pelo Governo Municipal, através do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), o projeto “Ganhe Mais com Menos” promove encontros periódicos, com rodas de conversa, orientações, avaliações e a prática de atividades físicas.
 
O décimo primeiro encontro do grupo, realizado na última semana, trabalhou os "Alimentos aliados na saúde mental", explicando como a alimentação pode influenciar as emoções no cotidiano. A nutricionista do Nasf, Rosangele Pavan Salvaro, responsável pela orientação sobre o assunto, utilizou exemplos simples para explicar o tema. “A ansiedade, muitas vezes, contribui para uma ingestão alimentar excessiva, o que pode frustrar as pessoas que estão no processo de emagrecimento”, exemplificou.
 
Ao final da conversa, a nutricionista sorteou entre as participantes um “kit fissura”, que consiste em um saquinho contendo um mix de uvas passas, cravo, canela, maçã chips e sementes de abóbora. O kit auxilia no controle do ganho de peso nos momentos de ansiedade, pois contém alimentos pouco calóricos e que exigem mais mastigação.
 
Atividade física como aliada
Além das orientações nutricionais, as participantes ainda praticam atividades físicas na busca pela redução de medidas e melhora na qualidade de vida. Os exercícios são realizados na Academia Clínica da Saúde, que cedeu o espaço ao projeto.
 
Atividades simples, como alongamentos e exercícios aeróbicos, fazem parte da rotina dos encontros. “Além dos exercícios realizados aqui, eu também cobro de cada uma a agenda com as atividades praticadas durante o restante da semana e as dificuldades que sentiram. Podemos dizer que temos ganhado muito com o grupo, principalmente na mudança de hábito das participantes”, destacou o educador físico e coordenador do Nasf, Celso Lúcio da Luz.
 
Para a mulherada, os benefícios obtidos com o grupo já são perceptíveis. “Mudou minha autoestima e meus hábitos. Estou me sentindo bem melhor”, disse a participante Lane Moro.
 
As participantes não apenas aprovaram as práticas desenvolvidas em grupo, como também fazem sugestões para aperfeiçoar o projeto. “Nós queremos que esses encontros continuem no ano que vem, pois serve de incentivo para continuarmos firmes na nossa meta”, comentou a participante Eva Oliveira. “Poderia ser feito também mais atividades físicas orientadas, pois isso nos ajuda e muito”, acrescentou Raquel Vargas. 
 
Colaboração: Suelen Bongiolo