Alemão alerta para demandas Sociais

04/11/2013 22:00

Desde que assumiu a cadeira de prefeito de Siderópolis, nada tem chamado tanto a atenção de Hélio Cesa (o Alemão, PMDB), segundo ele próprio, quanto os problemas sociais que o município enfrenta - não muito diferente dos outros da região. O tráfico, o uso de drogas e a desestruturação das famílias são problemas que não só afetam a qualidade de vida como geram custos que comprometem a já combalida capacidade de investimento das prefeituras. "A sociedade está doente. Não dá para saber onde vamos parar", resume Alemão, citando casos de violência doméstica e abuso sexual que chegaram ao conhecimento dele.

Menina de 14 anos no tráfico

De acordo com o prefeito, as polícias Civil e Militar tiraram de circulação traficantes da cidade. Agora só temos um ponto de tráfico em Siderópolis: uma garota de 14 anos. "Ela dribla toda a estrutura do Estado e continua traficando. Estou quase indo pedir providências para o secretário (de Estado) de Segurança Pública. Já imaginou precisar chegar a esse ponto por causa de uma menina de 14 anos?", desabafou Alemão, o quinto entrevistado da série EU FAÇO PELO SUL. Em Siderópolis, segundo ele, já são feitos trabalhos como escolinhas de futebol, futsal, vôlei, música e jiu-jitsu.

De acordo com o prefeito de Siderópolis, o Poder Público não pode se preocupar tanto em criar distritos industriais nos municípios em volta de Criciúma se não permanecer atento às demandas sociais. Para ele, nem sempre os benefícios econômicos gerados pelas empresas, especialmente as indústrias que atraem mão de obra pouco qualificada, compensam o custo social. "Também não adianta massificar a indústria nos municípios se não houver mão de obra qualificada. Isso será fator preponderante", diz Alemão, defendendo a aproximação das prefeituras com universidades e escolas técnicas para definir as necessidades.

Criação da “Rodovia Interserra” vai beneficiar interior

Alemão acredita que a conclusão da pavimentação de rodovias entre Siderópolis e Nova Veneza e da SC-446, entre Treviso e Lauro Müller, vai alavancar a economia dessas cidades. O acesso facilitado a todos os municípios ao pé da serra deve, principalmente, fomentar o turismo. "Eu li a entrevista do prefeito de Nova Veneza (segundo entrevistado da série) e concordo que temos que pensar num roteiro regional", destacou Alemão.

Ele diz já ter sondado proprietários de estabelecimentos aptos a receber turistas para desenvolver o turismo em Siderópolis. Para ele, antes de atrair turistas de outros lugares, os municípios devem estimular os moradores do Sul de Santa Catarina a conhecer os atrativos locais. "Isso também vai ajudar a identificar falhas e corrigir", sugere.

 

Textos: Renan Medeiros - Foto: Leonardo Zanin - Fonte: ClicAtribuna

 

>SEGURANÇA

Pai leva filhos à morte atirando carro de precipício

  SET 2017 12h26   Um homem de 27 anos arremessou o...

Sala de aula da escola Sílvio Ferraro é alvo de vandalismo

Um incêndio, aparentemente provocado, queimou essa noite parte de uma sala de aula da...

Pelas placas, o Estado de Criciúma e o Estado de Siderópolis

    21 AGO 2017 18h04   A aula de Geografia...